Data : 27/03/2017

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

Você conhece os quatro “C” para se confessar bem?

Um conselho de São Josemaria Escrivá de Balaguer para uma boa confissão

quatro

Do lado do confessor, São Josemaria Escrivá, um padre do século XX, deu o melhor conselho que já vi sobre o que devemos fazer quando estamos no confessionário. Ele aconselhava seus penitentes a cumprir os quatro “C”. Faça sua confissão: completa, contrita, clara e concisa.

Faça sua confissão completa. Não omita qualquer pecado mortal, é claro; e certifique-se de incluir os pecados veniais que estão lhe causando problema. Mais importante ainda, não se esqueça daqueles pecados que o deixam embaraçado. É melhor começar sua confissão pelos pecados que tem mais dificuldade em admitir. Depois disso, eles só podem ficar mais fáceis.

Leia também: Por que se confessar?

Você já agradeceu a Deus por poder se confessar?

Preparando o coração para uma boa confissão

Os efeitos do Sacramento da Confissão

Faça uma confissão contrita. Cuidado com seus pecados. Lembre-se de que foi a Deus que você ofendeu, e Ele o ama tremenda e generosamente.

Faça uma confissão clara. Não seja sutil. Não cubra seus pecados com eufemismos. Certifique-se de que o padre entende o que você quer dizer.

Assista também: A importância da confissão

Faça uma confissão concisa. Não há necessidade de entrar em detalhes sangrentos. Muitas vezes, quando assim falamos, estamos apenas tentando nos desculpar por ter inventado circunstâncias especiais ou por ter culpado os outros. Por outro lado, o tempo do sacerdote é valioso e será bem gasto com outro penitente.

Novamente, porém, o importante é fazer a confissão! Não a deixe para outro dia!

Retirado do livro: “Senhor, tende Piedade”. Scott Hahn. Ed. Cléofas.