Data : 01/07/2015

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

Tema da viagem do Papa

A alegria do anúncio, tema da viagem do Papa à América Latina

ale

Cidade do Vaticano (RV) – Realizou-se nesta terça-feira (30/06), na Sala de Imprensa da Santa Sé, o briefing sobre a viagem apostólica do Papa Francisco ao Equador, Bolívia e Paraguai de 5 a 13 de julho. No encontro com os jornalistas, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, ilustrou o programa da viagem apostólica do Papa Francisco à América Latina.

Esta será a 9º viagem internacional do pontífice argentino. Ele visitará esses três países que também foram visitados por São João Paulo II. Quarenta e oito horas e duas etapas em cada nação, com 22 discursos previstos em espanhol. “É um programa muito intenso”, disse Pe. Lombardi, que terá o olhos voltados para as periferias e com um único tema: ‘A alegria do anúncio do Evangelho’.

Mensagens

Francisco voltará ao seu continente e falará a sua língua, o espanhol. “Pela primeira vez a visita será feita a três países, não os maiores e os primeiros na geopolítica internacional, seguindo a lógica das periferias queridas ao pontífice. A história desses três países, feita de conflitos e ditaduras, será um elemento importante para entender as mensagens que o Papa irá proferir”, disse Pe. Lombardi.

“É bom que esta história de regimes autoritários, militares nesses países esteja presente também como encorajamento que o Papa pretende dar e que os povos esperam em prol de uma renovação de sua vida social, política, em geral, no sentido da paz, do desenvolvimento participativo e democrático”, frisou ainda o jesuíta.

Diversidade

“Deve-se notar o tamanho e a variedade geográfica desta viagem, entre a Cordilheira dos Andes, o Oceano Atlântico e o Rio de la Plata: mudanças de altitude e temperaturas em somente 7 dias”, destacou Pe. Lombardi, passando dos 4 mil metros de altitude da Bolívia ao nível do mar, no Paraguai. Variado será o quadro étnico-cultural e isso terá grande espaço nos encontros e celebrações, como também o tema da pobreza.

“O que eu notei na preparação dos eventos, nas notas que eu recebi também dos organizadores é que procuram fazer intervir também as pessoas que têm participação ativa e testemunhos para dar nas leituras, nas músicas e assim por diante. Expresso com muita atenção a composição desses diversos povos desses países, vindos de diferentes lugares, caracterizados também etnicamente de maneira diferente. Devemos estar atentos a esta característica étnica e cultural da viagem”, disse o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Temas

Os documentos importantes para essa viagem são o de Aparecida e a Evangelii Gaudium, expressa nos logotipos e lemas dos países.

Falando sobre o tema da viagem “A alegria do anúncio do Evangelho”, Pe. Lombardi frisou que o Equador tem como lema “Evangelizar com alegria”, a Bolívia “Com Francisco anunciamos a alegria do Evangelho”, e o Paraguai “Mensageiro da alegria e da paz”. “Portanto, a Evangelii Gaudium, a alegria de anunciar o Evangelho é evidente nos logotipos e lemas”, disse o jesuíta.

No programa, além de encontros institucionais com os episcopados, que nesta ocasião serão informais, com as autoridades civis e com a sociedade civil, Pe. Lombardi evidenciou algumas etapas significativas.

Camadas sociais desfavorecidas

“O primeiro abraço ao povo será em Guayaquil, no Equador, onde estão sendo esperadas cerca de um milhão e quinhentas mil pessoas, com a missa dedicada à família. Duas importantes visitas aos santuários marianos da Divina Misericórdia, em Guayaquil, e da Imaculada, em Caacupé, no Paraguai. Marcam a viagem do Papa vários encontros com as camadas desfavorecidas: os idosos no Equador, os encarcerados, em Palmasol, na Bolívia, e as crianças doentes do hospital pediátrico de Assunção, no Paraguai. A visita ao bairro pobre e alagado, de Assunção, Banado Norte, e a participação ao II Encontro Mundial dos Movimentos Populares em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.”

“Realidades populares de base às quais o Papa tem a oferecer um apoio e encorajamento por um compromisso em prol da construção da sociedade. Isso se liga também ao seu tipo de atividade pastoral e social que fazia em Buenos Aires, na Argentina, e que agora assume também um significado mundial”, disse ainda Pe. Lombardi.

O encontro conclusivo da viagem de Francisco será com os jovens em Costanera, Paraguai, em 12 de junho, domingo, véspera de seu retorno a Roma. Segundo o jesuíta, está prevista a participação de 200 mil pessoas. (MJ)

(from Vatican Radio)

Deixe uma Resposta

*

captcha *