Data : 31/12/2015

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

TE DEUM

No último dia do ano, Papa preside cerimônia de louvor a Deus

papaanonovo

Na celebração do Te Deum, Francisco recordou os acontecimentos do ano que termina e convidou os fiéis a olharem com esperança para 2016

André Cunha
Da redação

Em muitas ocasiões a Igreja eleva seus cantos de louvor a Deus. Uma dessas situações acontece no último dia do ano, com a celebração das Vésperas, o Te Deum.

“No Te Deum, pedimos a ajuda dos anjos, dos profetas e de toda a criação para louvar ao Senhor. Com esse hino, revivemos a história da salvação e identificamos também os episódios de nossa vida, nesse ano que passou”, disse o Papa Francisco nesta quinta-feira, 31, em sua última cerimônia de 2015.

O Santo Padre disse que o dia de hoje propõe duas opções aos fiéis: reviver os dias do ano passado, recordando fatos, ou tentando entender se observamos a presença de Deus, que tudo renova e ampara com Sua ajuda. “Somos chamados a verificar se os acontecimentos do mundo se realizaram segundo a vontade de Deus ou se demos ouvidos aos projetos do homens, repletos de desejos pessoais, de sede de poder e de violência gratuita. Nossos olhos sentem necessidade de olhar os sinais que Deus nos concedeu para tocar, com nossas mãos, a força de Seu amor misericordioso”.

Francisco recordou os dias deste ano que foram “machados de sangue” pelo sofrimento de inúmeras pessoas, especialmente dos refugiados e das crianças sem alimento. Por outro lado, destacou os gestos de amor e de solidariedade que, mesmo não sendo manchete nos noticiários, aconteceram pelo mundo a fora. “As coisas boas não fazem noticias”, disse o Papa. “Esses gestos de amor não podem ser obscurecidos pelo mau… O bem vence sempre, embora possa parecer velado muitas vezes”, afirmou.

Por fim, rezou: “Nós te louvamos, ó Deus. Tu és a nossa esperança; não seremos confundidos eternamente”.

A celebração terminou com a adoração ao Santíssimo Sacramento e a bênção solene. Ao deixar a Basílica Vaticana, o Papa Francisco surpreendeu a todos e visitou o presépio na Praça São Pedro.