Data : 24/06/2016

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

Francisco encontra um país ferido que busca a paz

2016-06-24 Rádio Vaticana

armenia

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco já está na Armênia para a 14ª Viagem Apostólica Internacional de seu Pontificado. Após 4 horas de voo, às 14h49 (hora local) chegou a Yerevan onde teve lugar a cerimônia de boas-vindas no aeroporto e, imediatamente, os primeiros encontros.

Uma viagem apostólica cheia de significados, primeira etapa da visita ao Cáucaso, que será concluída em setembro próximo com a Geórgia e o Azerbaijão. O Papa Francisco visita a Armênia 15 anos depois da viagem de João Paulo II. Será um novo abraço com o país que por primeiro, em 301 dC, no ápice da missão evangelizadora de São Gregório, o Iluminador, proclamou o Cristianismo como religião de Estado: bem 79 anos antes do Edito de Teodósio, com o qual o Império Romano tornou oficial a fé em Cristo, depois de tê-la admitida em 313 com o Edito de Milão.

Diálogo

Será um diálogo profundo, o do Papa Francisco, com um país ferido que busca a paz. Após o longo período em que foi incorporada à União Soviética – o russo é a segunda língua mais falada no país – a Armênia ainda enfrenta hoje o conflito territorial com o Azerbaijão. No cerne da questão, a região de Nagorno-Karabakh, um enclave de maioria armênia em território Azerbaijão.

Mas, acima de tudo, a ferida mais profunda remonta a 1915, quando um milhão e meio de armênios, sobretudo cristãos, foram horrivelmente massacrados pela mão do exército otomano – um episódio que divide Armênia e Turquia. Ancara não aceita o termo “genocídio” para definir aquele massacre.

O Papa se reunirá com autoridades civis e religiosas, com os Patriarcas armênio-Apostólico e armênio-Católico. Significativa a visita ao Memorial de Tzitzernakaberde, que recorda precisamente o massacre armênio; a visita a um orfanato em Gyumri, no âmbito das obras de misericórdia que o Papa faz neste Jubileu extraordinário; em seguida, o encontro ecumênico e a oração pela paz.

Finalmente, a visita ao Mosteiro de Khor Virap, na fronteira com a Turquia, onde o Pontífice irá liberar duas pombas, símbolo da paz, em direção do Monte Ararat, onde, segundo a tradição bíblica, encalhou a Arca de Noé no final do Dilúvio Universal. Francisco retorna ao Vaticano no próximo domingo à noite.

(SP)

(from Vatican Radio)