Data : 13/07/2015

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

A beleza da Virgem

8.3.6 A beleza da Virgem

beleza
Uma das invocações carmelitanas mais comuns de Maria é Mater et Decor Carmeli (Mãe e Ornamento do Carmelo). Já vimos no capítulo 2 a celebração da beleza da Virgem em nossos autores, especialmente Bostius. A beleza da Virgem está no coração da oração mais popular da Ordem a Maria, o Flos Carmeli:

Flos Carmeli, Flor do Carmelo,
Vitis florigera, Videira florescente,
Splendor coeli, Esplendor dos céus,
Virgo puerpera, Virgem fecunda
Singularis, e singular
Mater mitis, Mãe afável,
Sed viri nescia, Mãe sempre virgem,
Carmelitis, Aos carmelitas
Esto propitia, sede propícia
Stella Maris! Ó Estrela do Mar!

A beleza não é algo acidental. Um dos mais significativos aprofundamentos feitos no século XX é certamente a redescoberta da beleza por Hans Urs von Balthasar como uma característica própria para toda teologia. É, de certo modo, a forma mais correta de visualizar todo o plano divino. A beleza é uma idéia chave na mariologia.

Já afirmei anteriormente que a mariologia é salutar apenas quando conserva unidas, em apropriada harmonia, três verdades: o relacionamento de Maria com seu filho e com a missão dele; o relacionamento de Maria conosco; e a beleza da Virgem.317 Se negarmos a beleza de Maria, poderemos cair em algo parecido ao pessimismo protestante sobre a natureza humana. Ou podemos despersonificar Maria para nos concentrarmos em sua função, em vez de nos determos em sua pessoa feita gloriosa e bela pela graça de Deus. Paulo VI falou ao 7º Congresso Mariológico e ao 14º Congresso Mariano sobre o modo como a beleza pode ser uma autêntica abordagem sobre Maria.

Num mundo freqüentemente em trevas, a beleza da Virgem pode elevar nossos corações e nos levar a um otimismo radical sobre a natureza humana e seu destino. Frente à agitação da sociedade contemporânea, a figura de Maria sugere sossego e repouso. Suas festas são momentos de conforto dentro do ano litúrgico. Portanto, a imagem carmelitana de Maria é uma dádiva e uma consolação para nosso tempo.

Deixe uma Resposta

*

captcha *